Sexta-feira, 28 de Agosto de 2015
28.08.2015 - Por Fora de Série, às 14:00

EverBlock+block+image.png

 

Já todos brincámos - e adorámos brincar - com legos em algum ponto das nossas vidas. Agora, graças à EverBlock que constrói peças de lego enormes, podemos usar essa paixão para construir coisas reais.

É quase um sonho tornado realidade: brincar com legos e, ao mesmo tempo, construir alguma coisa com utilidade. Foi o que pensou Arnon Rosan, um norte-americano de Nova Iorque que não se ficou pelo sonho e fundou mesmo a EverBlock, uma empresa que constrói peças tipo lego em tamanho adulto.

Será possivelmente o melhor sistema modular que existe e se a ideia inicial era apenas construir peças de mobiliário, mesas de centro, sofás ou estantes, rapidamente a ideia evolui para formatos maiores, como divisores de salas e mesmo abrigos pré-fabricados. As aplicações são inúmeras e podem até servir para uma situação de emergência.

Para já os blocos existem em 14 cores diferentes e três tamanhos: 30 cm, 15 e 7,5 cm, com o peso a variar entre o kilo e as 100 gramas. Sendo que cada bloco tem ainda entradas para cabos, iluminação ou até para reforços de estrutura. Depois é só deixar a criatividade falar por si. BL

 

EverBlock.jpg




Quinta-feira, 27 de Agosto de 2015
27.08.2015 - Por Fora de Série, às 18:31

IMG_8113.JPG

 

A Casa da Avó Chiquinha é o local perfeito para acolher os turistas nas festas das sextas-feiras 13, em Montalegre. Esta pequena vila no Parque Nacional da Peneda Gerês celebra com muitas bruxas e suas mesinhas, ao som de música, de peças de teatro e foguetes, todas as sextas-feiras do calendário anual.

A festa é mágica e o cenário, encimado pelo belo castelo de Montalegre, pode tornar-se divertidamente assustador. É uma festividade a não perder, principalmente agora que a Casa da Avó Chiquinha abriu portas. A amabilidade da família Gonçalves, a beleza natural da região e a gastronomia típica do Barroso – onde pontificam os fumeiros, nos quais a Avó Chiquinha é especialista afamada -, tornam incontornável uma visita a estas terras altas.A casa rural tem nove quartos, decorados com o doce e quente toque familiar, onde não faltam as habituais comodidades e uma piscina no exterior. A casa pode ser também alugada por piso e, neste caso, tem uma kitchenette ao dispor dos hóspedes totalmente equipada.

Para noites de bruxas ou simplesmente para disfrutar da beleza da natureza daquela região, a Casa da Avó Chiquinha é um sítio a não perder. S.S.P.

Tags:



27.08.2015 - Por Fora de Série, às 16:27

holding-jeremy-scott-moon-man.jpg

 Os MTV awards estão à porta. Este ano com a novidade do Moonman, a icónica estatueta trofeu ter sido totalmente redesenhada por Jeremy Scott, o director criativo da Moschino. O Moonman é o mais reconhecido dos troféus a seguir ao Oscar claro. E os prémios da MTV o maior evento do mundo a fundir cultura pop, moda e música, “os meus três temas preferidos” referiu Jeremy Scott a propósito da colaboração. E o redesenhado astronauta de Scott começa logo por apresentar uma paleta multicolorida por oposição ao cinzento original. Ao pescoço traz um mega colar com o símbolo da paz e, em vez das tradicionais botas de astronauta, uns ténis Adidas Originals com asas, desenho do próprio Scott para a marca. A bandeira do astronauta em forma de M(tv) surge também com uma barra cromática igual à que passava nas televisões de antigamente. Um piscar de olhos ao início da MTV nesta época de domínio da internet mas que casa na perfeição com as propostas coloridas de Scott para a Moschino.

Os MTV Video Music Awards 2015 decorem em Los Angeles, na madrugada de 30 para 31 de agosto em Lisboa, e serão apresentados por Miley Cyrus pelo que se pode esperar muita irreverência – e algumas propostas de moda ousadas. B.L

Tags: ,



Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015
26.08.2015 - Por Fora de Série, às 15:03

Tourbillon RM 69 Erotic Front.jpg

 

Apesar do nome bem sugestivo: Richard Mille 69 Erotic Tourbillon, a grande sedução desta edição especial é a justa homenagem que presta aos relógios proibidos do passado. Ainda assim, foi engraçado a forma como a Richard Mille preparou a Reserva de Marcha para parar nas 69 horas, “justificando” o número no nome.

O que este relógio tem de erótico é um conjunto de frases, que surgem no mostrador, exprimido (supostamente) os nossos desejos mais libidinosos. As frases surgem em três barras triangulares, em titânio, que giram aleatoriamente, cada uma com as suas frases pré determinadas, até formar uma frase composta. Pressionando um botão às 10 horas acciona-se o mecanismo tipo oráculo e tanto pode “sair” um “quero acariciar-te esta noite” como um “quero excitar os teus mamilos”. Cada barra tem seis lados por isso podem imaginar o número incrível de possíveis frases.

Relógios eróticos sempre fizeram parte da relojoaria. Durante séculos os relojoeiros tentaram criar autómatos com figuras que representavam actos de cariz sexual. Só que nesses tempos idos essas cenas estavam “escondidas” até porque esses relógios eram considerados atendados à moral e portanto confiscados e destruídos.São esses os relógios que Richard Mille quer honrar com esta edição limitada, onde tudo está à vista mas só para quem entrar numa das 24 boutiques exclusivas da casa,  e comprar um dos 30 exemplares disponíveis.

Ainda assim, se for um deles aconselhamos muito cuidado no futuro, sempre que alguém lhe perguntar as horas. Ou muita sorte…BL

 

Tourbillon RM 69 Erotic Back.jpg




Terça-feira, 25 de Agosto de 2015
25.08.2015 - Por Fora de Série, às 14:40

Restaurante Tsubaki 2.jpg

 

Lisboa tem um novo grande restaurante japonês. Fica bem no centro da cidade, no Saldanha e tem nome de flor aristocrata e elegante.

O Sushi pode estar na moda (ainda) mas não é disso que trata o Tsubaki. Ou, pelo menos, não exclusivamente. O Tsubaki é um restaurante de comida japonesa em toda a sua plenitude, com os assados e os grelhados na chapa, as massas e as tempuras. O responsável pela carta é o chef Paulo Morais (ex-Midori, ex-Bica do Sapato, Umai), um dos maiores especialistas desta culinária em Portugal e o único a ter participado no concurso mundial de Sushi em Tóquio, o ano passado.

É sempre bom aprender coisas novas. Sobretudo quando não o esperávamos. E foi por causa deste novo restaurante que aprendemos que fomos nós os portugueses introduzir a Camélia no mundo ocidental. A camélia que foi desde logo adoptada pela aristocracia europeia – e mais tarde por grandes casas de moda – pela sua elegância. Originária de alguns países asiáticos, o nome da camélia na china é sinónimo de chá e no japão, de onde trouxemos os primeiros exemplares em 1543, chamam-lhe. Tsubaki. Precisamente o nome deste restaurante que cria mais uma ponte entre o Japão e Portugal.

O Tsubaki fica no também recente Turim Saldanha Hotel, apesar de ter uma entrada independente. Está aberto ao almoço e ao jantar durante a semana e apenas ao jantar nos fins-de-semana. Os preços variam entre os 15 e os 25 euros por pessoa. BL

 

Restaurante Tsubaki 4.jpg




25.08.2015 - Por Fora de Série, às 12:30

Topázio_Manga para Garrafa Champanhe.jpg

A Topázio acaba de apresentar duas mangas para garrafa em prata trabalhada. O objectivo? Esconder as mangas de plástico que podem ser muito práticas para garantir a frescura do vinho mas reconhecidamente pouco estéticas.

Agora as suas garrafas de vinho já se podem apresentar à mesa vestidas a rigor. Cortesia da Topázio, marca portuguesa com tradição em trabalhar o ouro e a prata desde 1874.  São duas mangas de estilo claramente português, disponíveis em prata ou com banho de prata, mas com dois modelos distintos: um para garrafas de vinho branco (tinto ou rosé) com um design mais tradicional e trabalhado e outro para garrafas de espumante (ou champanhe) com um design um pouco mais moderno e arrojado. A escolha é sua sendo que ambos os modelos têm um P.V.P. a partir dos 345 euros.BL




Sexta-feira, 21 de Agosto de 2015
21.08.2015 - Por Fora de Série, às 15:27

IPA lateral.jpg

O Museu do Caramulo inaugura este sábado, 22 de agosto, uma exposição genial: "Micro Carros, Grandes Histórias", dedicada aos pequenos automóveis que fizeram história. Incluindo o "Messi", um Messerschmitt KR200, e vários modelos portugueses.

Dizem que os carros não se medem aos palmos. Mas medem. E é precisamente o facto de este automóveis medirem tão poucos que os torna tão interessantes.Chamamos-lhe Micro Carros, do inglês Microcars, embora eles também lhes chamem Bubblecars. O melhor nome é dos franceses. Voiturettes e, se quando olhamos para a história da indústria automóvel temos tendência a olhar para os grandes nomes, os superdesportivos, o facto é que nenhuma história estaria completa sem um bom capitulo dedicado a estes carros. Porque ao longo de todos estes anos, sobretudo em épocas de crise ou entre guerras, a escassez de materiais e de meios disponíveis levou a indústria a ser original na resolução do problema da mobilidade e liberdade das pessoas.

Esta exposição presta a justa homenagem a estes carros, com um modelo com mais de 100 anos, um Peugeot de 1914, mas também quatro micro carros portugueses: um Lusito, dois IPA (incluindo um raríssimo protótipo) e um SADO 550, o primeiro automóvel português a ser produzido em série.

O Museu do Caramulo aproveita ainda a exposição para lançar a acção de crowdfunding "Salvem o Messi", o Messerschmitt KR200 de 1958, um micro carro propriedade do museu a necessitar restauro. Quem aderir poderá vir a ter o seu nome associado ao carro e ganhar uma subida na Rampa do Caramulo no lugar de co-piloto a bordo do "Messi", que é pequenito mas tem muita qualidade. BL




Quinta-feira, 20 de Agosto de 2015
20.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:45

mon_544430_black_project_pr_m121.jpg.jpg

A Montblanc  juntou-se a Marc Newson, a sua primeira colaboração com um designer em 109  anos de história, para apresentar uma nova caneta.O resultado desta parceria dá pelo nome de Montblanc M, um conjunto de “instrumentos de escrita” como a marca alemã gosta de chamar às suas canetas, que tem tanto de moderno como do clássico intemporal

A estética é indubitavelmente Montblanc mas apresenta ao mesmo tempo ângulos mais marcados e proeminentes que lhe dão um toque futurista. A fluidez de linhas é um elemento característico do design de Newson e nesta M recorreu-se por exemplo a a um inovador sistema de fecho com a ajuda de um íman que assegura o alinhamento perfeito entre o clip na tampa e o elemento recto na ponta da caneta. Uma nova redistribuição do peso assegura ainda um balanço perfeito na hora de escrever. Da colecção farão parte a tradicional caneta de aparo, um roller e, pela primeira vez também na história da Montblanc, um fineliner para desenho técnico. O objectivo é apelar a um público mais ligado às artes.

mon_544430_black_project_pr_m111.jpg.jpg

Jerôme Lambert, Ceo da Montblanc, explicou que “ Para a primeira associação a um designer na história da Maison, elegemos trabalhar com Marc Newson sem dúvida o designer mais influente da sua geração”. Uma afirmação difícil de disputar quando Newson já desenhou desde barcos para a Riva a carros para a Ford, óculos para a Safilo, roupas para a G Star Raw, ténis para a Nike, mochilas para a Louis Vuitton, electrodomésticos para a Smeg, mobiliário para a Capellini e para a Magis, candeeiros para a Floss, utensílios para a Alessi ou Alitala, máquinas fotográficas para a Leica e para a Pentax, jóias para a Boucheron, relógios para a Jaeger-LeCoultre, onde trabalhou pela primeira vez com Jerôme Lambert na altura o CEO da marca, mas também para a Ikepod e para a Apple no recente Apple Watch. Já tinha, inclusivamente, desenhado uma caneta para a Hermès.BL

 

Tags: ,



Quarta-feira, 19 de Agosto de 2015
19.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

LITS_SKD_Web.jpg

London in the Ski é o nome de uma experiência gastronómica inesquecível. Suspensa no céu de Londres. A experiência vai decorrer em Setembro, entre os dias 14 e 30. Nesses dias alguns dos melhores restaurantes e chefs londrinos mudam-se para as docas de St Katherine e para um ‘pop up restaurant’ muito especial: uma sala de refeições suspensa 25 metros acima do solo. 

Não será a sala ideal para quem sofre de vertigens mas para os até 22 convidados que não padeçam desse problema esta promete ser uma refeição com uma vista absolutamente única - e privilegiada para monumentos como a Torre de Londres, a Ponte de Londres e a Tower Bridge, os arranha-céus Shard e Walkie Talkie. Sempre acompanhados pelo chef responsável nesse dia, um sommelier e os empregados que servem a partir do centro da mesa.

Entre os mais de dez chefs convidados estão nomes como Dan Doherty, do Duck & Waffle, Tom Aikens do Tom’s Kitchen ou Robert Ortiz do Lima, restaurantes muito famosos da cena londrina. A oferta inclui um menu de pequeno-almoço (quatro pratos por 50 libras), almoço (3 pratos, 125 libras), bar de champanhe (Taittinger mais canapés por 75 libras), e jantar (quatro pratos, 200 libras). As refeições demoram entre meia e uma hora mas pode saber mais informações e fazer a marcação em www.eventsinthesky.co.uk. BL

 

 




Terça-feira, 18 de Agosto de 2015
18.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:45

qta vallado.jpg

Nos dias 19 e 20 de Setembro decorre a primeira Feira do Douro pelos Douro Boys, para provar não só os vinhos mas também todos os produtos gastronómicos que a região tem para oferecer.

É em plena época de vindimas, quando o Douro mais fervilha, que se realiza esta primeira feira organizada pelos Douro Boys. Grupo informal de produtores que tanto tem feito pela promoção da região.Aqui convidaram mais de 20 produtores para dar a conhecer, provar (e comprar) alguns dos segredos mais bem guardados da região. O melhor pão, as frutas, os queijos artesanais, as salsichas picantes durienses, os legumes das hortas, os pastéis de ovos, o azeite ou o mel produzido nas quintas do Vale. Para além, claro, dos vinhos que os Douro Boys produzem. A ideia da Feira será decorrer a cada ano numa das quintas do grupo, que representa a Quinta do Crasto, Quinta Vale Meão, Quinta Vale D. Maria, Niepoort e Quinta do Vallado que recebe, precisamente, a primeira edição. A Quinta é uma das mais antigas e famosas do Douro, construída em 1716 pertenceu a Dona Antónia Adelaide Ferreira e mantém-se ainda hoje na posse dos seus descendentes. Tem também um excelente Wine Hotel onde se pode hospedar. 

A entrada para a feira custa 10 euros/dia e incluí a oferta de um copo Riedel. Mais informações em www.douroboys.com. BL




Segunda-feira, 17 de Agosto de 2015
17.08.2015 - Por Fora de Série, às 16:54

Peixaria da Esquina - pratos1.jpg

 A Cervejaria da Esquina de Vítor Sobral foi totalmente renovada e agora o peixe é quem mais ordena. A esquina é a mesma, em Campo de Ourique, mas o restaurante está muito diferente. Em primeiro lugar foi totalmente renovado, pela mesma dupla de arquitectos - Sofia Duarte e João Mota – responsável por todos os novos projectos do grupo de Vítor Sobral. Depois mudou de nome, para Peixaria na Esquina e, com o novo nome chegou um novo conceito: a lógica inicial dos petiscos “para picar” passou a estar subordinada ao melhor que a nossa costa tem. Oferecida em versão marinada e curada, sobretudo. Assim podemos encontrar carapau, cavalas ou atum marinados, salmão, espadarte, robalo, ou enguia curados. É claro que também não vão faltar mariscos, como as ostras, vieras, lapas ou ameijoas e alguns dos pratos do antigo menu como o casco de sapateira ou o prego de atum.

Este conceito mais marítimo andava a “marinar” na cabeça do chef Vítor Sobral há já alguns anos e foi inclusivamente testado pela primeira vez no Peixe em Lisboa já em 2012. “Este conceito da Peixaria da Esquina será mais transversal e adaptável a ser replicado noutros mercados espalhados pelo mundo” referiu. Para já está em Campo de Ourique e é lá-apenas que pode ser saboreado. B.L

Tags:



Sexta-feira, 14 de Agosto de 2015
14.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Quinta-do-Crasto_Piscina.png

 

Uma proposta de descanso na mais antiga região demarcada do mundo e Património Mundial da UNESCO. Mais precisamente na Quinta do Crasto, com visitas e provas vínicas, ou uma tarde na piscina assinada por Souto Moura.

A Quinta está situada na margem direita do Rio Douro, entre a Régua e o Pinhão, numa propriedade com 130 hectares, 70 dos quais ocupados por vinhas. É detentora do Certificado de Excelência atribuído pelo TripAdvisor, um dos mais importantes sites internacionais de viagens. Em 2014, recebeu mais de três mil visitantes, nacionais e estrangeiros. Não se julgue pelos números que é um local barulhento ou agitado, os programas disponíveis têm por filosofia exactamente o oposto: paz e serenidade.

Para quem pretende ficar mais do que um dia, este Enoturismo tem sugestões de passeios na propriedade ou nos barcos Pipadouro, Douro acima ou abaixo. Antes, ou depois, vale a pena saborear uma refeição típica da região, baseada em receitas da família de Leonor e Jorge Roquette – os proprietários – e confeccionada com produtos biológicos da propriedade, como hortícolas, frutas, azeites e os incontornáveis vinhos Quinta do Crasto.

Se o tempo é de passagem, a sugestão é de um passeio pelas vinhas, que inclui as famosas Vinhas Velhas, adega e cave de barricas; seguido de uma prova de cinco vinhos, devidamente acompanhados pela história de cada um.

Em suma, quer seja por umas horas, ou por uns dias, serão momentos de genuinidade na mais antiga região demarcada do mundo, numa paisagem de suster o tempo. CSB

 




Quinta-feira, 13 de Agosto de 2015
13.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

 

Chef-Joachim-Koerper.png

 

Cabe ao restaurante Eleven, a rentrée do Rota das Estrelas. Os dois jantares do mais estrelado evento gastronómico nacional juntam ‘chef’s’ premiados e Gabriel Vidolin, do aclamado O Leão Vermelho, no Brasil.

 Pelo restaurante emproado no Alto do Parque Eduardo VII, irá passar no dia 11 de Setembro, o talento dos ‘chef’s’ Leonel Pereira (do Restaurante São Gabriel, na Quinta do Lago, no Algarve), Dieter Koschina (do Vila Joya, em Albufeira), João Rodrigues (do Feitoria, em Lisboa) e Hans Neuner (do Ocean, em Porches, no Algarve) - todos com uma estrela Michelin – num jantar de degustação a dez mãos. No dia seguinte, é a vez do ‘chef’ Joachim Koerper receber Gabriel Vidolin, o aclamado ‘chef’ de O Leão Vermelho, em São João da Boavista, no Brasil.

 Gabriel Vidolin passou pelo famoso restaurante El Bulli, na Catalunha, tinha então 19 anos. Mas foi na antiga casa dos avós, no Brasil, que abriu um espaço – cujo conceito não é exactamente o de um restaurante tradicional –, onde recebe, serve e, claro, cozinha. Vidolin recebe apenas quatro pessoas por noite e em dois dias por semana. Os ingredientes são biológicos e o menu acompanha as estações do ano, as fases da lua e o estado de espirito do ‘chef’. Os pratos com alma – diz quem experimentou - são servidos numa sequência sensorial em diferentes pontos da casa. Quanto à inusitada escolha do nome da casa, Vidolin explica: “sou um grande fã de Harry Potter porque sou um Gryffindor”.

 Ainda em Setembro, o evento atravessará fronteiras pela primeira vez, rumo ao As Garzas, na Corunha, em Espanha, onde o ‘chef’ Fernando Agrasar (uma estrela Michelin) é anfitrião. Em Outubro será a vez do ‘chef’ Vítor Matos receber os convidados no Largo do Paço, em Amarante, e em Novembro, é no The Yeatman, no Porto, que Ricardo Costa receberá a Rota das Estrelas. A fechar a edição de 2015, no mesmo mês, estará o Fortaleza do Guincho, em Lisboa, com o ‘chef’ Vincent Farges a receber outras estrelas. CSB




Quarta-feira, 12 de Agosto de 2015
12.08.2015 - Por Fora de Série, às 17:28

Peixaria-da-Esquina---pratos1.png

 

A cervejaria passou a peixaria. Não é que a Cervejaria da Esquina não tivesse já petiscos piscícolas (como casco de sapateira, vieiras com maracujá ou prego de atum), mas agora, com novo nome e conceito, a Peixaria da Esquina reforçou a oferta de produtos do mar. E há marinados e peixes curados de diversas formas. Prontos a lançar o anzol, estão carapau, cavala, robalo, bacalhau, atum, espadarte, salmão, polvo, lula, choco ou enguia. E no campo dos mariscos, há vieiras, lapas, amêijoas, berbigão, lingueirão, camarão e ostras da Ria Formosa.

Além dos petiscos, dos clássicos, dos marinados e dos peixes curados, há ainda grelhados, ou pratos no fogão – como sopas, açordas, arroz e cataplanas - e as sugestões do chefe, que incluem os ingredientes frescos e as inspirações diárias.

A nova cara do espaço é da responsabilidade de Sofia Duarte e João Mota, os actuais arquitectos dos projectos do grupo, nacionais e internacionais. Já a ideia marinou nas mentes da equipa do 'chef' Vítor Sobral desde 2011 e foi testada no Peixe em Lisboa, em 2012. Ao que parece, com sucesso. CSB

 

peixariadaesquina_2.png

 

Tags:



12.08.2015 - Por Fora de Série, às 13:30

Couv.png

 

"La Flânerie" é o décimo caderno de ‘croquis’ da Hermès, lançado recentemente. Os desenhos de Philippe Dumas levam o leitor numa visita pelo jardim secreto da ‘maison’, onde reside a colecção Émile Hermès, avô do designer.

Émile Hermès, fundador da centenária casa francesa, criou um Museu que tem o seu nome. Os descendentes foram-lhe acrescentando peças. Phillipe Dumas passeava com o avô neste espaço e as inúmeras memórias lançaram-no no caderno de desenhos que o homenageiam. São inúmeros, os objectos coleccionados por Émile e oriundos de viagens que fez pelo mundo. Tal como Charlie Chaplin, o avô Hermès previu mudanças: “linhas rectas, tempo contado ao minuto, paredes erguidas entre presente e passado, entre sonho e realidade”. Decidido a conter essa mudança, passeou, observou e colheu curiosidades. Dedicou-se à ‘flânerie”, não de forma a desperdiçar, mas antes a “encher-se de tempo”.

Philippe Dumas é autor e ilustrador de vários livros publicados em vários países e detém o prémio Grand Prix de Littérature de la Ville de Paris.

O livro está à venda nas lojas Hermès e nas livrarias Actes Sud, em Francês, Inglês e Mandarim, com o preço de 9,50 euros. CSB